Postagem em destaque

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

ALÔ, ALÔ, ALÔ.....! Autoridades da segurança pública...O povo pede socorro urgente.

Isso é um apelo da população! O povo do Rio Grande do Norte, habituado com a costumeira paz e tranquilidade das conversas nas calçadas e portas abertas até altas horas, agora vive um clima de intensa insegurança e medo por conta de tantos assaltos a mão armada em plena luz do dia. Tudo isso é fruto da falta de segurança pública a que todos os cidadãos honestos e trabalhadores têm direito, pois pagam seus impostos e nesse caso, sem retorno. O povo pede clemencia. ..  Vejo cada vez mais, este estado mergulhando, em um abismo de violência sem precedentes. Acredito que já passou da hora de vossas excelências, acordarem e verem a necessidade de  enfrentar essa violência de frente.Uma violência que se espalhou pelos municípios; e vem trazendo pavor e medo para toda  população potiguar. Urgentemente tem que se unirem as forças policiais; e traçarem metas a fim de dar um basta a tanta violência. Uma violência descomunal, que está a Deus dará, não? Só a capital de RN....? mas também os municípios a mercê da própria sorte.

Um comentário:

  1. Sou solidário com a população de mossorò, não é de hoje que a segurança desse município está jogada as traças. E vejo muito pouco ou quase nada para dá um fim a tanta violência ou pelo menos deixar em patamar aceitável em uma sociedade civil organizada. Aqui em Mossorò a bandidagem tem feito a festa na criminalidade, onde mortandade vem acontecendo uma verdadeira carneficina, que tem deixado esse povo Potiguar em desespero mediante a tamanha violência que este município tem passado. E precisa de uma solução para acabar. Com a criminalidade, isso que essa população espera da segurança desse município e pede socorro ao governador Robinson Faria. Boa noite!!!

    ResponderExcluir

»»- ATENÇÃO LEITOR: Este Blog aceita comentários anônimos mas repudia a falsidade ideológica.-Por favor o seu nome, sobrenome e e-mail (caso tenha algum), dos quais sejam legítimos para identificação.